Ministério da Defesa autoriza cerco do Exército à Rocinha - Alagoinhas FM

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Ministério da Defesa autoriza cerco do Exército à Rocinha



RIO - O Ministério da Defesa autorizou nesta sexta-feira, 22, o cerco do Exércio à Rocinha, a mais conhecida favela do Rio de Janeiro, localizada em São Conrado, na zona sul da capital. Mais cedo, o governador Luiz Fernando Pezão havia pedido reforço das Forças Armadas para ajudar no patrulhamento da comunidade, cuja população vive sob intensos tiroteios desde domingo passado. Nesta manhã, confrontos entre traficantes e policiais fecharam a Autoestrada Lagoa-Barra, que passa pelos acesso da Rocinha e é a principal via de acesso entre a zona sul do Rio e a Barra da Tijuca, na zona oeste. 
Agora, o Ministério da Defesa discute a forma de atuação do Exército com a cúpula da Secretaria de Segurança do Rio, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova, região central da capital fluminense. A expectativa é de que o Exército ajude a bloquear entradas e saídas, e não entre na favela.
"Não vamos recuar dentro da Rocinha. É o quinto dia de operações. Ontem (quinta-feira, 21), descobrimos uma grande quantidade de armamento e drogas", afirmou Pezão, após dar palestra na Sessão Especial do Fórum Nacional, organizado pelo Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae), no Rio.
Segundo o governador, as forças de segurança do Estado, incluindo o Batalhão de Operações Especiais (Bope) e o Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM), estão avançando numa região da Rocinha onde os traficantes se concentraram. "Estamos com indícios de traficantes numa região sobre a qual estamos avançando. Temos certeza de que a reação que está ocorrendo no asfalto é por causa disso. Pedimos reforço embaixo para dar tranquilidade", afirmou o governador.
O pedido para uso das Forças Armadas é para reforçar o policiamento nos acessos à Rocinha, garantindo a circulação pelas vias que passam no entorno, como a Autoestrada. Houve registro de confrontos em outras favelas do Rio, mas o reforço foi pedido apenas para a Rocinha. "A gente precisa agora na Rocinha", disse Pezão.
Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário